Forja do Futuro

Interlúdio - Morte e Assovio

Morte e Assovio

Freixo forte pra arcos de batalha,
pele, casaco e grevas contra o frio.
Flecha de aço vence cota de malha,
a morte vem depois dum assovio.

Espada canta quando desnudada,
não importa se a luta é justa ou vil.
O aço baila sobre a carne rasgada,
antes da morte vem o assovio.

A faca é feito bicho sorrateiro,
rápida e quieta que só cobra de rio.
Morte veloz, parece vir primeiro,
mas não; primeiro sempre é o assovio.

A foice mata de morte bem matada,
o talho dela se abre sem ardil.
Sorriso triste é garganta cortada,
ele anuncia à Morte; E à ele, o assovio.

Sobre os corpos grasnam as gralhas.
Partiram todos num pálido navio.
O silêncio tem gume de navalha.
Não há mais morte. Nem assovio.

Comments

PedroSette

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.